26 de out de 2009

Mamãe eu quero um baixo elétrico



Desde de que o rock é rock, o mito do guitarrista sempre foi motivo de admiração, desejo e até mesmo um meio de se ofuscar os demais músicos. O guitarrista sempre rouba a cena com seus solos, no qual acaba trazendo os holofotes para si.

Caras como Hendrix, Clapton e Jeff Beck que o digam, pois já ficavam com os holofotes para si sem mesmo dar início aos acordes. Mas, e o pobre do contra-baixista ?
Tá lá num canto, com um instrumento que nem todo mundo se liga no som. É um "dum dum" o tempo todo.

Eu só vim começar a prestar atenção na música como algo composto de vários fragmentos que se complementavam quando comecei a ouvir os Beatles. Paul McCartney, a partir de 67 (para ser mais preciso, no sgt.pepper's), nos apresentou o baixo solado. Diferente dos solos usuais que seguiam sempre a mesma escala. A impressão que dá, é que McCartney simplesmente concebia os solos. Na minha opinião, a canção em que ele expressa a sua complexidade máxima é "Hey Bulldog".

Outro baixista que gosto muito é Geddy Lee do Rush, basta ouvir o sonzão que o baixo dele faz em "Subdivisions". A propósito, o rock progressivo foi o que nos presenteou com os maiores baixistas que temos notícia.

Na minha opinião, o baixo é o som mais importante de todos os que compoem uma canção. É o baixo que dá o tom que virá, em muitos casos a bateria segue o compasso que o baixo dá e por aí vai. Não é a toa que temos o "drum bass" que dispensa guitarras e até mesmo exemplo de gente que dispensa guitarras, mas não abre mão de um baixo, como por exemplo Keane.

Então, parafraseando Gessinger... "Mamãe, me dá um baixo elétrico".

PS.: O baixo em destaque é da marca Rickenbacker, o qual foi predominante nas bandas de progressivo e foi introduzido por Paul McCartney (aliás, os Beatles introduziram Rickenbacker no mundo).

see ya


13 de out de 2009

O fim do Oasis


Para meu espanto (isso mesmo), soube que Noel Gallagher resolveu dizer um sonoro "Fuck off!" para seu irmão Lian, segundo as declarações do mesmo que alegou não aguentar mais o irmão e que só vivia brigando com ele.

Ahh! Noel! Vai tomar banho seu bosta! Desde que o Oasis existe, os dois brigaram, sempre brigaram. To até achando que essa separação é devido à falta de motivos pra brigar, ou quem sabe é uma grande jogada de marketing para alavancar as promissoras carreiras solos (afinal, Lian tem feito canções muito legais nos últimos discos, como exemplo "Songbird").

Fato parecido (só que relâmpago), aconteceu no auge do disco "What's the story morning glory", em que os dois maletas resolveram se separar e depois retomar a banda. Se a banda tivesse se separado naquela época não teríamos "Be here now", "Standing on the shoulder of the giants" e "Don't believe the truth". Com ressalvas para o ótimo "Dig out your soul".

Muitos podem dizer que eles não farão falta, na verdade o Oasis só irá causar esse tipo de sentimento pela facilidade com que os próprios tinham para despertar a antipatia das pessoas para com eles. Os irmãos eram pessoas difíceis, que falavam pelos cotovelos e que eram bastante odiados. Isso tem refletido muito nas vendas dos últimos discos, que jamais chegaram aos 20 milhões de cópias do excelente "Be here now". Esse caminho inverso que o Oasis fazia em face à fama prejudicou muito a imagem da banda que pretendia ser tão grande quanto os Beatles.

Isso foi um dos motivos que me fez ser bastante relutante em conhecer o som da banda no ano de 96, nessa época "Wonderwall" tocava até em novela da globo. Fora a eterna apurinhação de que os caras eram cópia dos Beatles.

FODA-SE quem dizia isso !

FODA-SE com letras maiúsculas e a cubo!!!

Os caras copiavam muuuito mais coisas que os Beatles!!! Desde misturar elementos dos Sex Pistols , T-rex, Stones Roses, Stones, Smiths e por aí vai... Da próxima vez que forem falar mal dos Gallagher, ouçam um pouco mais de som seu bando de bosta (Putz falei como um Gallagher agora! Sorry!).

Voltando a historinha, eu só vim sacar mesmo os cara quando vi um show no canal da fox (There and then), que rolou durante a turnê de "Whats the story...". O show era recheados dos hits e com direito a cover de "Im the walrus" (uma porrada) e a bela "Masterplan". Esse vídeo foi determinante para que eu virasse fã das músicas deles.

Querendo ou não, os caras fazem um rock bom e da pesada, com bastantes guitarras cortantes e bem altas, coisa que muita banda tem um medo da porra em fazer (Ex.: Coldplay)! Bater em todas as cordas da guitarra com vontade, tal como Towsehend fazia... e Noel também (tá certo que numa potência menor se comparada ao do monstro do The Who).

Até outro dia eu não conhecia a canção "Whatever", pois era foda ter acesso a singles... mas com o advento do maldito/bendito mp3...

Deixo vcs com essa bela canção, e ficaremos na torcida para o que os Gallaghers continuem tendo lampejos de criatividade, juntou ou separados...




See ya

Related Posts with Thumbnails