8 de nov de 2009

David Bowie: Pinups (1973)



David Bowie apesar de ser um artista conceitual, não tinha o reconhecimento de público até o lançamento do single "Fame" de 75, não que ser famoso seja determinante para a qualidade do artista, mas é importante saber desse detalhe para nos situarmos em 1973. Até "Pinups", o camaleão já tinha "The Man who sold the world", "Ziggy Stardust" e "Alladinsane", álbuns excelentes, só que mesmo assim ainda eram poucos que sabiam o que era bom. Motivado pela mesma idéia de Bryan Ferry, Bowie regravou os grandes clássicos (naquela época não eram tão clássicos assim, pois eram de alguns anos atrás...) que fizeram a cabeça do nosso amigo.

O disco abre de cara com guitarras levemente distorcidas e bem dinâmicas para o clássico do Rhythm & blues "Rosalyn" de Bo Diddley, é o que eu digo de canção em "alta voltagem". A canção seguinte é "Here comes the night" (que eu não sei de quem é sorry), a qual não deixa a peteca cair, com seu refrão cheio de metais e o vozeirão de Bowie reverberando para tudo que é lado!!! Puro Glam rock cacete!!!

"I wish you would" e "Shapes of things" são canções que eu ouvi em disco dos Yardbirds, até onde eu sei a primeira é uma canção que os próprios yardbirds tocavam como cover, enquanto que a segunda era de autoria deles mesmo. "I wish you would" tem vocação para ser entupida de guitarras e batera no mais alto volume, e a banda o faz bem... mas os vocais de Bowie, são sublimes, é algo que eu chamo de vocal "plástico". Enquanto que "Shapes of things" já tem incrementos artísticos mais "Bowieanos", tais como sintetizadores e um refrão surge do nada como se estivesse se recuperado de um súbito derretimento (caraca, se alguém souber definir isso de forma mais adequada, porfavor digam!), agora algo que me faz pirar nessa música é o solo de Mike Ronsom cortando tudo !!! Oh You crazy Things!

Agora vou tocar num assunto delicado... Bowie canta "See Emily play"!!! Aposto que muitos não sabem que raios de música é essa! Afinal, o povo pensa que Pink Floyd se resume somente ao , Dark side of the moon, Wish you were here ou , na grande maioria, ao bom (jamais excelente, odeio a canção "another brick in the wall") The Wall. Voltando ao Pinups... em "See Emily Play" Bowie não só vestiu uma capa "Barrettiana" como elevou ao cubo as idéias do gênio que abandonou a nave Pink Floyd de forma precoce, com arranjos completamente desenfreados e alucinantes.

Bowie também gostava muito de the Who, tanto que incluiu "I cant explain" e "Anyway, anyhow , anywhere". A primeira já tem um clima meio lisérgico e é acompanhada de um vocal lento, nada agressivo e bem light.... mas plástico, ao melhor estilo dele. Já a segunda, Bowie quis ser o mais próximo possível da canção original, pena que ele não contava com um Keith Moon na bateria, mas tudo bem, o cara respondeu bem, algo que ressalto também é o caos sonoro que rola no meio da música, como eu adoro aquela quebradeira.

Pelo visto ele gostava de uma quebradeira na sua vitrolinha, somos presenteados com "Where Have the good times gone" do Kinks, só isso. NEXT---->

"Sorrow" é a mais legal de todas (não desmerecendo nada), mas é bela e hipnotizante. Aquela intro com violino e a guitarra trêmula é de arrepiar, isso sem falar no vocal de Bowie que está perfeito! Essa canção é uma verdadeira conspiração, tudo nela ficou perfeito! Essa canção tinha até versão em português por uma banda da jovem guarda, é engraçado quando eu ouço a versão de Bowie e a minha mãe aparece cantado uma versão em português muito diferente.

Era para esse disco contar com uma cover de "White Light white heat" do Velvet Underground (a qual sempre foi tocada por Bowie em seus shows), ela chegou a ser gravada, mas por algum motivo doido não ficou, deixa pra lá, o disco é perfeito de qualquer forma.

Bowie RULES!

NOTA: 10






1 comentários:

Manô disse...

O David é o máximo!
As duas primeiras referências que tive dele foram Cristiane F e O Labirinto... eu era tri pequena! Não me interessei muito em conhecer melhor. Acho que fui gostando dele sem saber, tipo, adorava algumas músicas e nem sabia que eram dele. Quando soube, comecei a prestar mais atenção.
Hoje em dia ele é massagem para os meus ouvidos, mesmo não conhecendo tuuuudo dele (mas chego lá!).
David Rules, com certeza!

Related Posts with Thumbnails