27 de dez de 2009

The Flaming Lips/Stardeath & white dwarfs: The dark side of the moon (2009)


The Flaming Lips é uma banda que eu sempre quis ouvir, mas é muito difícil de se achar (é melhor usar "difícil" para não ter que usar palavras feias como "foda"), para minha sorte, com o advento do mp3 e da net isso já pode ser sanado. Recentemente eles anunciaram que iriam fazer uma releitura do clássico "dark side of the moon" do Pink Floyd. O estilo garage-psicodélico-pop dos Lips me deixou curioso em ver o resultado do trabalho. Eu sinceramente, nunca fui muito chegado a cover

O disco conta com a participação da banda do sobrinho de Wayne Coney, a Stardeath and the white dwarfs, também com Henry Rollins (Black Flag) e uma tal de Peaches (que não é a princesa cogumelo do Mario Bros ou a Pitty caso alguém confunda pela pronuncia).

O disco tem um começo realmente arrasador, "Speak to me/breath" altamente distorcida e pesada, mostrando que o rock espacial também pode ter seus ruídos nada polidos, "Time" também segue o mesmo estilo.

"Us and them" e "the great gig in the sky" são as que aparentemente foram as mais "preservadas" em relação às originais de Waters e cia. Eu não gostei muito do enfraquecimento que foi dado ao refrão de "Us and them", perdou toda a carga emocional. Também não gostei muito da versão para "Money", mesmo assim é uma canção audível.

Gostei muito das versões para "Brain damage" e "Eclipse", atmosfera bem legal para se dizer que "os lunáticos estão no hall".

Com relação a capa, poderia ser feito algo bem melhor e mais sugestivo, pelo menos o "Charque side of the moon" do La Pupuña (daqui de Belém), apesar da imagem de mal gosto, foi ousada e criativa, entretanto o disco é uma BOSTA (isso mesmo fãs de La Pupuña, a banda de vocês é uma merda). Terei a pachorra de ouvir por completo o "Charque side" para postá-lo aqui, acredito que meus fiéis visitantes nunca tiveram o desgosto de ouvir.

No final das contas, é um bom disco, não é um clássico... afinal, foi feito em cima de um, mas antes um disco de covers em cima de um Pink Floyd do que um "No line on the horizons" para fechar 2009.

Happy new year!

NOTA: 8,2

14 de dez de 2009

Melhores de 2009

Olá prezados!

Não sou de fazer listinhas de top sei lá o que e etc e tals, por isso não irei rankear os discos que na minha opinião foram os melhores de 2009.
Eu sei que marquei touca em não postar alguns aqui (isso vocês perceberão ao verem a lista)... acabei esquecendo, mas fazer o que ?
Eis os discos:


Power trio formado por Grohl, John Paul Jones e J. Homme, mostrou que o rock não está morto e que som pra macho ainda cabe em um simples cd!!! Acabei me entregando ao chamá-lo de "disco do ano", os caras merecem.


a Esse discaço foi muito elogiado por mim, esse sueco que sabe compor belas canções fez um dos melhores discos do ano. Belas canções , bela voz, belas melodias... discaço.
asdads




Taí um disco que aos 47 do segundo tempo me cativou, não tirou 10, mas é um dos melhores de 2009 com certeza. O estilo dançante e seu vocal poderoso são únicos. Vale a pena

The Dead Weathers: Horebound.

Eis um disco que eu não postei aqui... sorry! A banda que Jack White resolveu mostrar para sua maninha como se toca batera , som com peso e efeitos sujos na medida certa.

Ida Maria: fortress round my heart

Ida Maria também acabou passando batida aqui no nosso blog, mas mesmo assim não escapou dos melhores do ano. Um vocal próximo ao Bjork e as batidas no estilo Pretenders, só que um pouco mais nervoso. Muito bom mesmo.


Banda formada pelos irmãos negros que engavetaram o projeto por causa de imposição da gravadora que não aceitava o nome "Death". Apesar desse disco se de 74, ele só veio a tona para o grande público esse ano. Foi como ouvir grandes bandas como Stooges e New York Dolls pela primeira vez. Um achado!!!


See ya

10 de dez de 2009

Yo la tengo: Ride the tiger (1986)


O que raios eu fazia em 1986 ? Brincava de futebol de botão, e via transformers na tv, certamente era uma das coisas, mesmo assim, até mesmo que conhecia muito rock nessa época dificilmente sabia da existência de uma banda chamada "Yo la tengo" (puta que pariu, mas que nomezinho hein). Em 96, o selo Matador resolveu trazer para o Brasil muita coisa boa a quilo, e o Yo La tengo foi uma delas.

Kaplan e cia, são fãs DECLARADOS (sim! com letras maiúsculas) do Velvet Underground, aquele estilo manso e quase falado de Lou Reed, e os riffs de guitarra super simples. "The evil that men do" é uma quebradeira de guitarras, altamente descompasadas no mesmo estilo Cale.

Deixo a indicação das belíssimas "The pain of pain" e "Alrock's bell".

O Disco também conta com a cover "A house is not a Motel" do Love, tão boa quanto a original.

É isso aí, dessa vez serem menos "eloquente"...

até

NOTA: 10

3 de dez de 2009

Florence and The Machine - Lungs (2009)



Em minhas andanças pela net, quando quero me aborrecer, dou um pulo no blog do "Jeca" Camargo para ler algumas bobagens que ele escreve (e são muitas my friend). Logo no começo do ano, ele citou as promessas da música para 2009 de acordo com uma revista britânica. Nessas promessas estavam "Florence and The Machine", curiosamente, foi o nome que eu memorizei (era o mais "cool"). Até que encontrei um link para o disco e resolvi conferir. Florence Welch é mais um exemplo da onda de excelentes vocais femininos da atualidade como Amy Winehouse, Zee Avi, Lilly Allen e Adele, só que com um estilo meio pop-hippie-ópera-dançante (putz! Quanta porra).

A canção inicial "Dog days are over" abre o álbum com tudo, alto astral e um refrão muito bom, a canção cresce de forma incrível. Como a própria Florence diz "Quero que minhas canções façam com que a pessoa se sinta em queda livre". "Rabbit Heart" já tem sintetizadores no estilo The Killers, mas algo que me agradou muito é o fato de a própria Florence fazer os backing vocals, montando um coro bem afinadinho.

"Kiss with a fist" é a que tem as levadas mais "sujas", com guitarras pesadas (não barulhentas) e com uma bateria que bate no melhor estilo rock n roll clássico.


A bela Florence, uma máquina de canto

Analisar discos no final de ano pode ser perigoso na escolha dos melhores do ano, pois a empolgação da audição recente pode influenciar, mas não vou hesitar em colocar "Lungs" no pacote.

cheers

Nota: 8,5

Related Posts with Thumbnails