20 de mar de 2011

Beady Eye: Different gear, still speeding (2011)

http://www.filesonic.com/file/r000216945/273856291/Beady_Eye_-_Different_Gear_Still_Speeding.rar

Como é bom postar novamente no meu blog depois de um certo tempo praticamente hibernando musicalmente. Ainda não será dessa vez que postarei semanalmente, mas garanto que o não ficarei mais de um mês ausente. Pois bem, para marcar a minha volta, resolvi postar sobre um disco no qual eu sempre tive muito expectativa... algo que fosse 100% Liam Gallagher. Sim, Liam sem Noel. Sei que Noel é o mentor por trás de todo o sucesso do Oasis e responsável por hinos como "Wonderwall", "Don't look back in anger", "Stand by me" e por aí vai. Por causa dele, o Oasis tem sua fotinho emoldurada no salão das grandes bandas do rock (queira ou não).

Com a separação, veio à tona uma situação que todos se perguntavam "O que seria do pobre, chato e arrogante Liam sem Noel para compor?". Liam começou a compor no disco "Standing on the shoulder of the giants" de 2000 com a belíssima "Little James". A propósito foi a canção mais bonita daquele disco. A participação de Liam passou a ser mais constante, por conta disso compos também outras pérolas clássicas no Oasis como "Songbird" e "I'm outta time", eu sinceramente, passei a achar que as grandes canções do Oasis estavam nas mãos do "novato" Liam. Desde que conheço o Oasis, sempre fiquei com uma curiosidade tremenda em ver como seria a visão de Liam sobre o rock. Essa curiosidade também era compartilhada pelo meu amigo (praticamente irmão) Mark Lewys "o Júnior".

Enfim, esse dia chegou... e com o nome de Beady Eye e com direito a produção de Steve Lillywhite (que já trabalhou com o U2 em Joshua Tree). Eu evito ler comentários antes de ouvir um disco e tirar minhas próprias conclusões. Pois sei que nunca vou concordar com a maioria que escreve por aí... ainda mais quando o assunto é OASIS ou adjacências. Mas de forma rasteira, o que mais li foi "Beady Eye é o Oasis sem o Noel!". Essa conclusão pode até ser tirada por uma criança de 2 anos (desde que não seja o Eric, ele entende de rock bem mais do que uma conhecida minha chamada Bianca Putz! acabei falando! Não me processa viu...). De fato, o Oasis nos últimos anos estava dando mais espaço para o Liam, o que poderia gerar um um raciocínio reverso "O Oasis nos últimos 2 álbuns era um Beady Eye com o Noel". Eu acho que é por aí... como grande fã do Oasis (sou fã do som e não das babaquices que eles dizem e fazem), posso dizer que enxerguei isso nos últimos tempos, sobretudo em "don't Believe the truth" e "Dig out your soul", discos claramente liderados por Liam com puro Rock n roll.

"Four letter word" abre o disco, com muita guitarra e o vocal de Liam ecoando na melhor forma "Be here now" de ser. Agora já sabemos que toda essa veia Rock n roll que vinha predominando nos últimos discos do Oasis eram graças ao Liam, Gem Archer e Andy Bell. Eles gostam dessa levada com as guitarras bem batidas mesmo e com arcordes completos, nada de riffs nos bordões.

"The roller" é tem uma levada muito legal, afinal, são os mesmos arcodes base de "All you need is love" dos Beatles. Agora sim, podemos acusar um Gallagher sem medo algum de que houve uma cópia. Mas o refrão é muito legal, vou deixar passar.

"Beatles and Stones" é cheia de referências à canções como "get back", "When I get home", "it's only rock n roll"... isso sem falar que a canção é um plágio de "Yer blues" dos beatles com uns "efeitos" pra disfarçar.

Eu gosto muito de "Bring the the Light", rock n roll bem puro, nervoso e ágil, com mulheres cantando e etc. Parece que Liam queria fazer a sua "Let's spend the night together" e conseguiu, eu pirei com esse som mother fucker!!! Há tempos que não via uma canção tão legal e que ao mesmo tempo que revistava o estilo 60's de ser que pode parecer tão manjada. Parabéns por este Masterpiece cara!

As baladas eleitas por mim são as pérolas "Kill for a dream" e "The beat goes on".

Liam fez muito bem o trabalho de casa, espero que ele dê mais liberdade aos amigos Archer e Bell, só assim será garantia de uma auto reciclagem constante. E quanto ao Noel... nada contra, mas dúvido que ele possa se reciclar, não que eu esteja amaldiçoando ele ou que eu não goste dele. Isso seria contradição, pois graças a ele que o Oasis existiu de fato, mas vamos e venhamos, ele meio que se acomodou nos últimos anos. Liam tem razão em reclamar que o Oasis produziu muito pouco durante sua existência. Espero estar errado, e que tanto Noel quanto Liam continuem produzindo material novo e de qualidade (copiado ou não).

see ya!

NOTA: 9

Related Posts with Thumbnails