19 de ago de 2011

Nirvana: Nevermind (1991)


O que raios você fazia há 20 anos atrás? Eu tenho visto todo mundo comemorando o aniversário de 20 anos do lendário (porém não excelente) disco "Nevermind" do Nirvana. Em 1991, o garotão aqui tinha seus 12 anos, já olhava timidamente para as meninas e ouvia muito Guns n Roses nas minhas fitas K7, além de ouvir muuuuito a rádio Transamérica (naquele tempo prestava). Exatamente nesta mesma época, começou a tocar muito uma canção de um trio americano chamado Nirvana. O meu irmão conheceu um cara que tinha o "Bleach" em vinil aqui em Belém, e isso ANTES do Nirvana estourar, temos que tirar o chapéu para esse cidadão desconhecido.

A primeira vez que vi e ouvi foi no extinto programa "Kliptonita" da Rede Record, apresentado por um cara chamado Sérginho Café. "Smells like teen spirit" foi realmente um hino naquela época, e uma grande façanha, pois o Nirvana conseguia levar rock, sujo, pesado e cru para as FM, tirando do topo, um monte de porcaria que tocava na época. Quem não lembra de coisas como Deee lite? Acho que não lembram mesmo, rsrsrsrs.

Pois bem, foi num cenário musical bem mal desenvolvido e tedioso que o Nirvana surgiu dividindo as águas, e remexendo tudo da mesma forma que a Beatlemania o fez. Lógico que o Nirvana não conseguiu os mesmo números que os Beatles, mas na época foi uma movimentação intensa. Estilo de roupas, comportamento e o estilo musical se resumia ao "grunge". Eu vi tudo isso acontecer, mesmo não vivendo em Seatle ou em Bangladesh, isso era perceptível até mesmo nos jovens da minha cidade. eu felizmente, não andava por aí de calça rasgada, cabelo grande ou tatuagens, pois nunca curti esses papos furados.

Em 94, pouco antes da morte de Cobain, pude comprar 3 cds do Nirvana (todos importados), Nevermind estava. Eu já havia ouvido Nevermind antes, e por incrível que pareça, sempre achei ele um disco regular. Eu compreendo a importância desse disco pra época, sua capa era realmente "cool", expondo o bebê Spencer Elden com a piroca esfolada em busca de um dólar, muito genial mesmo.

Spencer Elden, 20 anos depois, sem a piroca esfolada.

Dos hits que o Nirvana emplacou, "Lithium" é a minha favorita, a propósito, ouço até hoje como se estivesse ouvindo ainda naquela época. O mesmo não posso dizer de "Smells like teen spirit" que ficou muito desgastada na época, inclusive o próprio Nirvana não tinha mais saco para executar a música ao vivo.

"Drain you" é outra música de nervemind que sempre me deixou piradão, Cobain não tinha nenhum dó da sua fender Jazzmaster azul nessa canção, batia as cordas com vontade mesmo, isso sem falar em Dave Grohl completamente insano na bateria.

Como disse lá no começo, eu particularmente, sempre achei Nivermind um disco regular. Canções como "Breed", "Polly" e "Louge act" tem prazo de validade muito curto. Mas isso é minha opinião, um fã mais fervoroso do que eu certamente irá dizer o contrário. Sem contar que foi tocando "Breed" que um colega meu arrebentou a corda da antiga Gianini do meu irmão, o que fez eu ficar mais puto com essa música.

Enfim, 20 anos se passaram, aquela febre e alegria da época se passaram, restando só a saudade de quem viveu aquilo. Hoje, lembrar disso e ver que foram há 20 anos atrás, percebo que estou velho. O grunge já está na mesma posição de marco histórico da Beatlemania ou do punk, ontem mesmo quando comentei na mesa do bar, os meus colegas que são da faixa de 25 anos disseram "caralho velho, nem era nascido!"(exagerando lógico). Engraçado, que nos 90's, quando eu dizia ouvir Pink Floyd, que era de 20 anos atrás, diziam "Isso é coisa de velho porra!", hahaha.

Agora sempre que formos falar sobre Nirvana, olharemos para trás e com ajuda de óculos...

Seja benvindo à terceira idade Nirvana!

da

2 comentários:

Anônimo disse...

Blimbouuuu!

Eu era grunge de bermuda xadrez, cabelão e camiseta rasgada!!!! Só não tinha tatuagem porque era muito nova, mas, na real, as tatuagens não estão muito presentes na minha mente quando se fala em grunge... até mesmo no livro "Touch Me I'm Sick", que tem várias fotos da cena grunge, não se vê muita tattoo... mas coturno e cabelão, ah, isso sim!

Nirvana nunca foi minha banda favorita e, sim, também gostava mais de Lithium do que das outras músicas do Nevermind.

Meu lance era Pearl Jam, banda que ainda é minha de estimação!

Eu ainda tenho o poster do Vida de Solteiro no meu quarto! Ainda adoro ouvir Alice in Chais e Stone Temple Pilots também... e Soundgarden / Audioslave... nossa, essas vozes me fazem muito bem!

Era isso!

Tu já leu o livro Life on Planet Rock? Se não leu, eu te empresto quando minha cunhada terminar... é em torno dos anos 90, bem legal!

bjos
Manô

Blimbou disse...

Oiii Mano,

confesso que das bandas desse movimento, o Nirvana foi a minha mais querida, mas também curtia muito o Soundgarden, Pearl Jam, Janes Addiction, Stone temple pilots... era bem legal mesmo.

Não li esse livro não, se me emprestares, prometo que devolvo.

bjo

Related Posts with Thumbnails